"Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche."

Martha Medeiros

sábado, 12 de junho de 2010

Dia dos Namorados


12 de junho. As lojas fervilhando, pessoas pra lá e pra cá comprando presentes, ursinhos, coisas fofas para dar para seus cônjuges, namorados, ficantes, cachos, rolos e afins. Então você passa em frente á uma loja com vários ursinhos com um coração enorme na barriguinha dizendo: ''eu te amo''. E fica morrendo de vontade de entrar e comprar. Mas na verdade, você não pode comprar, porque simplesmente não tem para quem dar.  Aquele ursinho provavelmente ficaria guardado no seu guarda-roupas até o dia em que aquela sua priminha de longe viria te visitar e você, para agradar, daria o ursinho por simplesmente não ter uma utilidade para ele. Eu descobri, sem querer, que ao contrário do que eu pensava, eu não sou carente. Tenho uma capacidade louvável de ficar sozinha, e sou seletiva. Eu sou do tipo que acredita na química que rola, seja na hora em que vocês se conhecem, ou depois, não importa. A química a qual me refiro, é o olhar, o jeito de falar, de tocar, de dizer as coisas, de chegar. A sintonia. Sou menos corpo, sou mais coração. Mas ás vezes, o meu coração me engana e fica maior que o meu corpo, maior do que eu mesma, e é então que tudo desanda. Sempre quis viver um romance como o da maioria das minhas amigas. Sempre quis que alguém se apaixonasse perdidamente por mim e que, sei lá, entendesse minhas loucuras, defeitos, e ficasse. Que não ficasse por um dia, uma semana, um mês. Que simplesmente ficasse, sem data pré-determinada para sair da minha vida. Talvez eu ainda não tenha desistido de encontrar, como eu achava que tinha. Talvez ainda pulse em mim, bem escondidinho, uma esperança de ter alguém comigo. E quem não quer? Um hora, os amores de uma noite perdem o sentido, acredito que todo mundo uma hora queira descansar. Alguns demoram um pouco, outros um pouco mais, mas sempre acabam cansando da vida boêmia e rendem-se ao amor (?), ou seja lá que nome dão a isso. Como dizia Cazuza, é acho que era Cazuza, enfim, alguém disse isso: "Eu quero a sorte de um amor tranquilo (...) e algum trocado pra dar garantia", é bom ter alguém contigo sem ter que se preocupar se ele vai te ligar ou não, se ele ainda vai te querer na semana que vem ou não, enfim, ter alguém que tu pode contar, que tu pode ligar no meio do dia para dividir uma notícia ou simplesmente pra ouvir ele dizer ''alô''. Ter alguém para fazer tudo ou nada juntos, alguém que cuide de ti e que deixe que tu cuide dele também. Alguém pra chamar de seu, alguém pra estar contigo. Alguém. Eu quero ter para quem dar aquele ursinho fofo da vitrine. Quero alguém que esteja comigo nos 365 dias do ano, alguém que me olhe com carinho e me mostre que eu sou importante pra ele. Todo mundo quer alguém, todo mundo precisa de alguém. E eu espero não considerar o dia dos namorados um dia tão derrotado, improdutivo e falido por muitos anos, espero conseguir achar alguém para dar o ursinho antes de criar teias de aranha. Até porque, nunca passei um dia assim acompanhada. E para os namorados e namoradas felizes e completos, o meu Feliz dia dos Namorados e os votos de que o amor prevalesça entre vocês sempre e sempre.

2 comentários: