"Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche."

Martha Medeiros

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Por que tu não se apaixonou?


 Gosto de pessoas doces, gosto de situações claras e por tudo isso, ando cada vez mais só. Como um filtro, um filtro seletivo, vão ficando apenas as coisas e as pessoas que realmente contam.

Só sei que a gente nunca pode julgar o que acontece dentro dos outros. Mania de esperar que as coisas sejam um jeito determinado, por isso a gente se decepciona e sofre. Seria tão bom se pudéssemos nos relacionar sem que nenhum dos dois esperasse absolutamente nada, mas infelizmente nós, a gente, as pessoas, têm, temos - emoções. A partir de então, tudo fica ainda mais complicado. E mais real.

Este é mais um texto chorão. Mais um texto clichê da garota que sofre por amor. Mais um texto da cidadã que só toma na cara e não aprende. Da cidadã que se apaixonou, mais uma vez. O problema, comigo, é que sempre, apenas eu me apaixono. Nunca tive um relacionamento duradouro, muito menos tive alguém que me curtisse com a mesma reciprocidade que eu. Ando sentindo um vazio aqui. Ser sempre a apaixonada, e nunca o objeto da paixão, é frustrante. Queria que seus olhos brilhassem tanto quanto os meus brilharam quando te encontrei ao acaso, depois de semanas sem te ver. Queria que teu coração tivesse disparado e tuas pernas tremessem tanto a ponto de tu se perguntar se elas realmente iriam te manter de pé naquela hora, quando me viu. Queria que você tivesse saido dali, e pensado: nossa, como ela está bonita. Queria que você tivesse parado para pensar. Em mim. Na gente. Queria que quando você vai dormir, seu pensamento parasse nos meus olhos e você lembrasse da minha voz e dos dias em que estivemos juntos. Queria que você perguntasse de mim para os amigos que temos em comum e que quisesse saber se estou com outro ou estou sozinha. Queria que sentisse minha falta. Queria que você me quisesse. Aprendi, que sentimentos não são de todo doloridos só porque não são correspondidos. Aprendi que os sentimentos (e digo sentimentos porque adicionar amor neste contexto seria um pouco forçado demais, visto que o amor se constrói, e não simplesmente aparece do nada) tem várias formas de se apresentar. Acho que todo mundo se sente um pouco lisonjeado quando sabe que existe, em algum lugar do mundo, alguém que pensa em ti quando vai dormir. Alguém que daria o mundo para te ter por perto. E hoje, tudo que eu queria é dizer o quanto eu te gosto e eu te quero. O quanto é engraçado sentir tanta falta de alguém que chega quase a ser uma dor física. Queria dizer que me dóem os teus silêncios e as tuas indiferenças. Que me dói você. Mas como eu disse, todo sentimento é válido. Doa, não doa. A pessoa em questão saiba, ou não, se importe, ou não. Não deixa de ser real, não deixa de ser bonito. Só dói. Um pouquinho por dia. Talvez bastante todo dia. Eu já devia ter me acostumado com isto. Mas como eu disse no início deste texto, o que se há de fazer? Eu sou um clichê. Nasci para me apaixonar. Mas não para se apaixonarem por mim. 

2 comentários:

  1. Cunhada queridaaaa \o/

    Uma dica..talvez duas:

    - As vezes, precisamos parar de procurar as pessoas, deixe elas te encontrarem de vez em quando, dae vai que funciona e aquela tal magia acontece e tudo fica rosa(igual esse blog..que coisa mais gay :P)

    - As vezes, olhe ao seu redor, de repente tem alguem procurando que tu nem percebeu.

    Bju cunhada...^^


    I love tu a lot muitão^^

    ResponderExcluir
  2. Concordo com o Patricio.
    Se eu soubesse uma boa cantada te dava agora, mas como não sou bom com isso.. xD

    ResponderExcluir