"Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche."

Martha Medeiros

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Bus.


Ando meio sem tempo de escrever. Ultimamente eu gostaria que meus dias tivessem 36 horas, para poder dar conta de todas as coisas que tenho que fazer. Mas um dia destes, ás 23:30 da noite, dentro da lotação, na volta do trabalho, me peguei refletindo. E há lugar melhor para se pensar do que um ônibus? Para mim não. Sempre gostei de andar de ônibus. Mais do que carro. Parece que meu pensamento viaja quilômetros e volta ali para o lugar onde eu estou entre uma viagem e outra. Então, parada, sozinha, dentro de um ônibus paro para pensar em tudo que uma simples viagem aflora nos nossos pensamentos. Muita gente passou pela minha vida. Muita gente marcou. Muita gente foi embora da minha vida sem saber o quanto significava para mim. Ás vezes, na correria do dia-a-dia, não dá tempo de ver todo mundo e dizer eu te amo, to com saudades, preciso de ti. Aí a gente vai adiando, amanhã eu digo, amanhã eu combino algo, e, no meu caso, o amanhã nunca chega. Talvez pela minha falta de tempo de ver meus amigos, os poucos que restaram, eu me apeguei demais nas pessoas com quem eu convivo diariamente, no meu trabalho. Acho que a gente aprende a gostar das pessoas, acaba tentando suprir uma carência com outra, mas a gente esquece que um amor não substitui outro. Muito menos novos amigos substituem os velhos. E sempre que eu posso, seja com um sorriso, seja com um abraço, com um olhar ou com uma palavra, eu tento mostrar para as pessoas que eu  convivo o quanto elas importam. O quanto elas fazem diferença. Pessoas vieram e se foram. Outras permanecem até hoje e eu fico me perguntando até quando. Dói quando elas vão embora. Dói quando elas vão e eu não tive tempo de dizer eu te amo, eu te quero bem. Muitas coisas tem acontecido comigo nos últimos meses. Nunca pensei que fosse sentir tanta saudade da minha cama. Nunca pensei que ia me pegar, ás 23:30 de uma noite de uma sexta- feira, dentro de uma lotação, sentindo saudade dos meus 15, 16 anos..
Amadureci um pouco. Percebi quantas situações eu vivi e até mesmo nas que eu fiz besteiras, repetiria igual hoje. Percebi que algumas pessoas que passaram pela minha vida, não fazem a mínima idéia da falta que me fazem hoje. Percebi que, por mais ridículo e decadente que possa parecer, sinto uma dorzinha por cada uma delas. Uma saudade muda, uma vontade de ir atrás e dizer: tu me fez mais feliz. Desde quando eu era criança, fui acostumada a deixar pessoas para trás, casas para trás, quartos para trás, amigos, amores...hoje lembro muito bem de cada um que realmente marcou, mas foram tantos! Tantas coisas que deixei para trás sem nem perceber, tantas coisas que deixei de falar por orgulho e hoje tenho vontade de ligar e falar tudo sem parar mais, te amo, sinto tua falta, tu foi muito importante pra mim, para tudo aquilo que sou hoje!
Infelizmente, é tarde. Não tão tarde que não possa se reconciliar, mas tarde para poder consertar as tantas coisas que eu falei sem pensar, tantas coisas que fiz sem olhar para trás...
Acho que, sentada naquele ônibus eu descobri que nenhuma pessoa pode sair da nossa vida sem saber o quanto ela importa. O quanto ela faz diferença no nosso dia. O quanto o simples fato de existir já faz com que nos sintamos tranquilos. Descobri que pessoas vão e vêm, e algumas permanecem. A vida está sempre mudando, o rumo de uns é diferente do rumo de outros. Ando com muitas idéias desconexas, que ficam em perfeita ordem apenas na minha cabeça, quando coloco no papel elas se misturam e não me faço entender. Eu só quero dizer que descobri que a vida da gente é tão efêmera quanto uma viagem. E a gente não deve deixar os passageiros do nosso ônibus descerem antes de saberem o quanto a viagem significou para nós e o quanto eles foram importantes, antes que eles desçam, seja tarde demais e a gente acabe não tendo uma outra oportunidade.

2 comentários:

  1. Amei, amei, amei!! Sério..Day, faz um livro! Tu escreve muito bem menina *---* Deus ilumine♥ E tu ja sabe que eu te aaaamo :)

    ResponderExcluir
  2. Mantenha-se próxima de quem gosta de ti e te quer bem. Nada mais e nada menos que isso. Se tu conseguir isso, não há solidão ou qualquer sentimento ruim que te façam perder o sorriso por muito tempo e falando em tempo. Não vale de nada pensar no que se perdeu. Se tu pode recuperar, vai atrás, por mais que seja cansativo e chato no começo, corre atrás porque isso pode te fazer bem.

    Teu sorriso é a minha alegria.
    Beijo, Any

    ResponderExcluir