"Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche."

Martha Medeiros

domingo, 30 de janeiro de 2011

Você me dizia que a gente combinava
Mas era de um outro alguém que ainda gostava
E pra não me ver chorar resolveu desistir, me deixar
Eu sofri demais porque já tinha um sentimento
E por um tempo que fiquei jogado ao vento
Mas outra pessoa surgiu,
E então resolvi arriscar
Foi legal, a gente foi se conhecendo
Nada mal, e logo foi se entendendo
Percebi que ela foi se apaixonando
E ai eu vi que algo foi mudando
Mas meu coração não quis se entregar

Eu vi que as lágrimas vão e vem
Como as ondas do mar vem e vão
E sem querer eu fiz a mesma coisa que você
Mas só agora eu fui entender
Será que um dia isso vai passar
Ou será que vai ser sempre assim
Eu esperando por alguém que sei não vai voltar
E desprezando quem gosta de mim.

Um comentário:

  1. A resposta para isso, Day, é desejarmos que as coisas mudem ao nosso tempo. Sempre que alguém modifica o que está cômodo para gente, ela pode estar entrando na zona de risco, a qual, nós criamos como defesa. Alguns agem assim, outros nem pensam assim, mas todos tem noção de uma coisa, que o amor é inconstante, sempre sempre foi e sempre será.

    Gostei do seu estilo. :D
    Estou seguindo o seu blog.
    Se quiser conferir o meu, é sobre poesias e textos: http://sinphonialiteraria.blogspot.com/

    Se você não se importar, eu poderia lhe adicionar no msn e no orkut? Achei o seu perfil nos contatos da Renata Auler. Heheh.
    Beijos e a gente se fala.

    ResponderExcluir