"Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche."

Martha Medeiros

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Eu fui a nocaute.


'' Mas você não pode, não, eu sei que dá vontade, mas não dá pra ligar pro desgraçado e dizer: ei, tô sofrendo aqui, vamos parar com essa estupidez de não me amar e vir logo resolver meu problema? ''
(Tati Bernardi)

Nunca consegui entender a lógica dos relacionamentos. Vou reformular a frase: Nunca consegui entender a lógica dos MEUS relacionamentos. Podem me chamar de dramática, carente, chata, não importa. Continuo querendo entender. Continuo querendo entender por que o meu coração dispara quando falo com aquele idiota que já me viu no último da humilhação (por causa dele mesmo), e não pelo carinha bacana que manda mensagens fofas me convidando pra sair todos os dias. Queria entender por que eu fico me maltratando e questionando por que aquele safado que me usou e me enganou me dizia que não queria relacionamento sério e hoje desfila pelas ruas com sua namorada linda e (diz ele) séria. Queria entender por que o outro carinha fofo que eu fiquei por um mês, me descartou um dia antes do Ano- Novo sem mais nem menos, e duas semanas depois estava pedindo uma loira (diga-se de passagem, linda) em namoro. Sabe o que eu acho? Que o problema sou eu. Observem: eu escuto que eles não querem um relacionamento sério (sendo que eu nem toquei no assunto de namoro), e algum tempo depois, me descartam, e adivinhem: para NAMORAR, com outra. Melhor do que eu, aliás. Porque óbvio, eles sempre me substituem por alguém muito melhor. O mais curioso é: eu tenho outras opções. Mas, a minha cabeça, ou melhor, o meu coração, não consegue se abrir mais porque ele já foi machucado demais. Não consigo querer aquele cara lindo, querido, de boas intenções que me quer por perto porque eu simplesmente cansei de tentar. Cansei de me enganar com sorrisos bonitos e falsos bons- moços. O medo de ser substituída é bem maior do que a vontade de não estar sozinha. O medo de quebrar a cara, abrir o coração para alguém que aparentemente vale a pena, e depois ser substituida por alguém muito melhor que eu, que me faz perceber o quão idiota eu sou de acreditar nos ''você é legal querida, o problema sou eu'', ou nos ''não vou ser igual aos outros, vou ser diferente pra você''. Então, acabei de descobrir um dos fatores que fizeram, ao longo dos anos, minha auto-estima ir parar lá no dedão do meu pé: existir sempre alguém mais qualificado para o cargo de namorada, ficante, rolo, ou seja lá qual for o nome da relação, do que eu. Haver sempre alguém mais bonita, inteligente, meiga, carinhosa, e aquela série de adjetivos que a gente lê nos depoimentos deles pra elas no orkut da vida. E não importa o quanto eu me esforce, o quanto eu dê 100% de mim, é sempre a mesma coisa: o tal do acordo no final. Eu não consigo definir qual é a pior situação: amar alguém que ama perdidamente outra, ou tentar me apaixonar, tentar outras possibilidades e na hora em que eu finalmente consigo, pelo menos, me apegar em outra pessoa, esta pessoa achar alguém melhor do que eu. Sinceramente, não há o que fazer ou o que pensar. Ah, sim eu sei: um dia eu vou achar alguém que goste de mim pelo que eu sou e vai me fazer feliz e blá blá blá. Mentira mais deslavada essa, que só diz quem já tem um namoro firme ou alguém que realmente ama e é amado. Já tentei demais, já apostei demais. Andei dispensando muita gente nos últimos meses, ou melhor, no último mês, porque depois da última desilusão que eu tive, eu desmoronei. Tentar esquecer uma pessoa com outra é bobagem. Não conseguir esquecer a pessoa com esta outra e ainda ser substituída é de querer tomar um porre para não pensar sobre. Mas eu não aconselho ninguém a fazer isto, porque é fato que o dia seguinte a dor é mais forte e o pior: além da ressaca física, encarei a ressaca moral também, ou seja, FOSSA. Talvez eu deva dar a chance pras pessoas que querem se aproximar. Talvez não. Talvez lá no fundo, algo me diga que sempre vai haver alguém mais ''apaixonável'' do que eu. Mais bonita, mais interessante..que eu não serei páreo, e aí eu tenho até medo de querer tentar. Não sei dizer se ficar sozinha não é pior, pior porque todos os dias, eu acordo me perguntando qual é o meu problema. Me perguntando por que eu não valho a pena. Por que não eu? - como diz aquela música do  Leoni. Meu príncipe encantado não vem. Talvez ele nem exista, e eu continue perdida desse espaço entre o que foi, e o que nunca vai ser. Talvez eu jamais consiga gostar de alguém como eu gosto dele. Talvez eu sempre vá ficar comparando ele com os outros caras, talvez eu sempre tente ficar e me apaixonar por outro e acabe substituída, sozinha e na mesma situação: amando alguém que com certeza, nunca vai gostar, sequer, de mim. Se existe carma, este é o meu: continuar sozinha e nos raros intervalos de tempo em que aparece alguém, no meio do caminho ser alcançada por aquela loira bonitona ou pela morena baixinha e delicada, e ser trocada. Pois é.
Talvez o status ''solteira'' continue por muito tempo fazendo parte da minha vida.

"Eu quero por um fim neste tormento de desejar tanto quem ainda tem tanto para desejar por ai." 

5 comentários:

  1. Flor, eu queria estar pra te lembrar e dizer na cara dos imbecis que eles são uns imbecis!

    ResponderExcluir
  2. Um tanto radical, acho que esta na hora de se deixar levar, "tenho 20 anos e nao tenho um namorado, minha vida acabou", ta na hora de abrir a janela e respirar fundo, ainda falta um tempinho para sua vida acabar e viver é experimentar, enterre o passado e abraçe o presente

    ResponderExcluir
  3. não tenho 20 anos, tenho 19, e não, voce nao sabe das coisas que eu passei e passo então, não tem o direito de julgar.

    obrigada pela atenção, passar bem.

    ResponderExcluir
  4. Nao julguei, nao disse que estava errada ou certa, nao sei o que voce passou? Entao o que voce escreve aqui nao sao verdades? Enfim, foi só a minha opnião...

    ResponderExcluir
  5. A questão do texto acima faz uma reflexão aos princípios morais de cada pessoa que você se relacionou ou vai se relacionar. Na nossa idade (15 a 20 ou até 25 anos) é época de faculdade, curtição, sexo e drogas (infelizmente essa última poderia se descartada de nossa realidade). E o triste disso é que não há fidelidade, o jogo do "rosto bonito" é mais forte, desperta a sensação de prazer cujo momento vale mais que um relacionamento bonito e sincero, ou seja, atração carnal, repulsão amorosa. O jogo dos jovens hoje é assim. No entanto, Day, uma coisa é certa, por mais que você fique na torre esperando algum principe encantado, sua espera é valiosa, pois a cada experiência, mais e mais lixos ou criaturas despresíveis vão se amontoando formando uma montanha em frente a sacada da sua torre e quando você menos esperar, o príncipe (acredite, ele existe) subirá por entre o monte e alcançará sem dificuldade o seu coração, o qual necessita ser amado de todas as maneiras. Saliento isso, pois muitas mulheres sofreram dessa maneira e procuram uma resposta. Portanto, Day, por mais que esses caras que te deixaram de lado optaram por loiras e morenas, que eles julgam mais tops que você, uma verdade é factuosa: eles não merecem um amor tão fascinante quanto ao seu. Fecho esse meu comentário com esse link, você provavelmente verá uma extensão do que disse aqui.

    http://sinphonialiteraria.blogspot.com/2010/12/etica-e-valores.html

    ResponderExcluir