"Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche."

Martha Medeiros

domingo, 8 de setembro de 2013

Palavras Soltas.


A maioria das pessoas acha que os deprimidos, depressivos, não vêem o colorido do céu porque não querem. Acham que reclamam mais do que falam bem porque acham que os problemas se resolvem sozinhos e a culpa é do mundo. O problema é que passa pela cabeça de pouquíssimas pessoas que uma pessoa deprimida, que convive dia e noite com um problema que ela sabe que não tem cura, apenas tem paliativos, simplesmente não consegue enxergar colorido algum e muito menos solução para seus problemas. Cada dia é um fardo imenso a se carregar, cada atividade parece extremamente exaustiva e a culpa por não conseguir ser igual a todo mundo, não conseguir seguir em frente, não chorar, não conseguir falar, não conseguir ver o lado bom em quase nada...bem, esta culpa é avassaladora. É uma culpa que parece maior que todos os outros sentimentos. Culpa por tudo. Culpa por todos. Pela situação, por sí, pela própria incapacidade de se fazer entender, e culpa por ter que conviver com o preconceito e com a ideia de ser um alienígena em uma terra de normais.